A conversa entre Cristiano Ronaldo e Rio Ferdinand

0

Cristiano Ronaldo convidou o antigo companheiro de equipa, Rio Ferdinand, para a sua casa em Madrid. Juntos, falaram sobre a carreira de Ronaldo desde que se transferiu para Madrid e do significado do lançamento do quinto capítulo das botas de assinatura CR7 Nike Mercurial – Cut to Brilliance.

O resultado deste encontro é uma curta-metragem – The Conversation.

Aqui Ferdinand partilha reflexões sobre Ronaldo baseadas nas suas primeiras recordações do jogador e dos factores que levaram à sua ascensão meteórica.

“Quando Cristiano chegou a Manchester era muito tímido. Era jovem, com apenas 18 anos, mas quando o vi jogar, soube que era diferente. O seu talento inquestionável estava ali, para todos verem.

Todos os jogadores, ao observarem a sua destreza absoluta sabiam que ele tinha potencial para se tornar o melhor do mundo. O que nos questionávamos era: “Terá mentalidade?”. Rapidamente percebemos que sim. Cristiano tinha tudo. Ele era corajoso, e por corajoso quero dizer que ele sempre quis a bola. Quando recebia uma entrada mais dura, levantava-se sempre. Nunca se queixava.

Foi a sua ética de trabalho – a sua paixão por melhorar continuamente – que me chamou a atenção. Esse era o seu factor X. Tinha todos os ingredientes (destreza, mentalidade e um objetivo claro) e com a sua combinação tornou-se no que é hoje.

Quando chegou a Manchester em 2003 era um showman. Queria entreter a multidão. Quando, em 2009, deixou o clube, era um autêntico jogador: queria marcar e ganhar jogos em primeiro lugar e só depois proporcionar entretenimento.

Naquela década, a sua marca era de 25 a 30 golos por temporada. Desde que está em Madrid tem batido todos os recordes. Agora marca mais de 50 golos no total de todas as competições.

Agora, Cristiano é a referência. Conseguiu recordes pessoais sem precedência. Podemos falar de todas as lendas… o que tem conseguido em golos e troféus não tem igual. Os jovens da próxima geração olham para ele como se ele fosse um Deus, na verdade.

Para os Mbappes, os Dembeles e os Rashfords deste mundo, Cristiano é a inspiração e não há um exemplo melhor. Não é só o sucesso de Cristiano Ronaldo em campo, é uma combinação disso e do que faz durante os treinos. Não podes ter um sem o outro. Quando essa combinação se une à sua inteligência para o jogo, isso faz o que vemos em Cristiano”.

 

SEM COMENTÁRIOS

Deixar uma resposta